A Oomoto e o Esperanto

O objetivo do Esperanto coincide assim com o ecumenismo da Oomoto, quando em 1923 o Cofundador Onisaburo DEGUCHI adotou-o na Oomoto, erguendo um monumento na principal sede em Kameoka, Japão, com as seguintes inscrições: Unu Dio, Unu Mondo, Unu Interlingvo” (Um Deus, Um Mundo, Uma Língua Internacional). A partir de então a Oomoto não apenas ensina e propaga o Esperanto, mas também o usa.

 

Na prática o Esperanto faz o papel como língua-ponte na tradução de obras doutrinárias da Oomoto para outras línguas, como as traduções realizadas no português pelo Prof. Benedicto Silva, e em húngaro pelo Sr. Szabadi Tibor, apenas para citar dois exemplos.

A Oomoto já participou 33 vezes de congressos universais de Esperanto, dessas, 15 edições com caravanas, inclusive as realizadas no Brasil, em Brasília, no ano de 1981, e em Fortaleza, em 2002. A Oomoto geralmente apresenta sua sessão de Esperanto em congressos, seguida de mostra de artes japonesas.

 

“O Esperanto é absolutamente necessário para a paz mundial. Com relação ao Esperanto, é minha intenção agora divulgá-lo não apenas em nosso país, mas também em direção ao país natal do Dr. Zamenhof, através da Ásia Oriental, de modo que o importado seja exportado novamente.”

 

Mestre Onisaburo DEGUCHI,

Cofundador da Oomoto

 

“Para realizar a paz mundial, todas as nações devem ser colocadas em posição de igualdade. O primeiro elemento que constituirá sua base será uma língua comum internacional; esta língua comum deve ser usada como a segunda língua de cada povo.

Parece-me que, mais cedo do que supomos, nos surpreenderá o tempo, quando a humanidade concentrará toda sua sabedoria e decidirá seu rumo em escala global.”

 

Mestra Naohi DEGUCHI,

Terceira Guia Espiritual da Oomoto

 

 

Humanidade!

cerra os olhos tranquilamente

e recita uma frase

desta língua mundial.

Como soa para ti

essa agradável e pacífica melodia?

Aprecia, em seguida, a suavidade

e quietude do teu coração.

Justamente este idioma Esperanto é Deus,

é uma língua divina.

Quem consegue usar esta língua

encontrará nela Deus.

 

Mestre Hidemaru DEGUCHI,

Terceiro Guia Espiritual Coadjuvante

 

 

O movimento esperantista é algo tão grande, que chegará mesmo a governar o futuro da humanidade, a felicidade das gerações ao longo da eternidade. Por isso, tanto mais se fazem necessários tempo e esforço, iguais a esse valor, penso eu. E, contudo, também é um fato, que em nosso mundo frequentemente acontece que até mesmo algo que consideramos totalmente irrealizável, um dia inesperadamente se realizará.

No período inicial da Oomoto, frequentemente aconteciam coisas semelhantes a essas.

 

Nós temos a sede central em Kameoka, como também em Ayabe. No jardim sagrado de Ayabe, encontra-se uma pequena lagoa chamada Kinryuu-kai, Lago do Dragão Dourado. Esta lagoa foi cavada pelos oomotanos da época dos ensinamentos do meu bisavô Onisaburo, em 1914, antes de a Oomoto adotar o Esperanto. E na lagoa foram construídas cinco ilhotas representando os cinco continentes habitados pela humanidade.

 

Porém, ninguém sabia de onde viria a água. Os oomotanos que cavaram o lago ficaram preocupados e também os moradores de Ayabe até se manifestavam em tom de zombaria: “O que pensa a Oomoto, cavando uma lagoa em tal local?”. Todavia, em janeiro do ano seguinte, quando a lagoa acabou de ser construída, de maneira mais inesperada veio o pedido da cidade de que queriam utilizá-la como parte de um córrego. Assim, a lagoa Kinryū-kai ficou cheia de água abundante. Hoje a lagoa também reflete em si as belas árvores do jardim.

Penso que nosso movimento esperantista realmente se assemelha àquele trabalho, isto é, à escavação da lagoa. Ainda que fiquemos preocupados, ou os vizinhos se dirijam a nós em tom de zombaria, devemos continuar com esforço pacientemente e sem interrupção. Um dia, inevitavelmente virá o tempo, em que o Esperanto será falado pelos homens nos cinco continentes do globo terrestre, do mesmo modo que a água abundante inesperadamente encheu o pequeno lago com os cinco continentes.

Para mim o mais importante é que estejamos sempre preparados para esse dia, quando de repente acontecerá que o mundo e a humanidade precisarão do Esperanto, não somente da língua, mas também de sua ideia interna. Portanto, da minha parte, estou disposta a aprender o Esperanto com dedicação e persistência, durante toda minha vida.

 

Mestra Kurenai DEGUCHI,

Quinta Guia Espiritual da Oomoto

Monumento Esperanto, na Sede Central da Oomoto em Kameoka

© 2018 Associação Religiosa Oomoto do Brasil | Rua Fernando Pessoa, 720 | Jandira | SP

  • YouTube
  • Instagram