A Oomoto e as Artes

“A arte é a mãe da religião".

A máxima acima é de autoria do Santo Mestre da Oomoto, Onisaburo DEGUCHI (1871 -1948), Cofundador da Oomoto e também um grande artista reconhecido internacionalmente.

 

Por se tratar de uma organização religiosa, seria esperado uma máxima inversa no qual se afirmaria que a religião é a mãe da arte. A máxima na verdade é um ensinamento. Há ainda outra máxima:

 

A Oomoto faz desta máxima o seu ensinamento básico: Deus é o Espírito que anima todas as coisas, e o homem é o administrador do governo universal. Quando o homem se une com Deus, manifestam-se uma autoridade e um poder infinitos.

 

(Estatuto Fundamental da Oomoto, capítulo 8)

 

Por se tratar de espírito, seria impossível ver ou enxergar Deus com os nossos olhos físicos. A etimologia da palavra "religião" mostra que a religião é a forma como nos liga a Deus ou a algo superior.

 

Por ser invisível aos nossos olhos, por ser possível apenas sentir a Deus, a forma mais fácil, simples e até mesmo rápida de chegar perto de Deus, de acordo com os ensinamentos da Oomoto, seria através da Arte. Mas não é qualquer manifestação artística, são as manifestações que animam o sujeito, dão alegria e prazer ao indivíduo quando no contato com a manifestação artística.

 

Portanto, é através da Arte que se sente (ou se chega, se une, se liga) a Deus. Por isso a máxima "A Arte é a Mãe da Religião".

 

A prática dessa máxima, bem como o ensinamento contido nela faz com que todos os Guias Espirituais exerçam e difundam a Arte. É por esse motivo, seguindo o exemplo dos Guias Espirituais, que os oomotanos devem exercer a Arte.

Tigela cintilante "Haru no Miyako" - "Capital do Brasil"

Cofundador da Oomoto, Mestre Onisaburo DEGUCHI

© 2018 Associação Religiosa Oomoto do Brasil | Rua Fernando Pessoa, 720 | Jandira | SP

  • YouTube
  • Instagram