Saudação da Quinta Guia Espiritual por ocasião da Grande Missa de Miroku

Traduzido do Esperanto pelo Prof. Benedicto Silva


Estimados e caros senhores e todos os crentes! A todos os senhores eu me dirijo com cordiais saudações e felicitações por ocasião da Grande Missa de Miroku.


Nesta bela estação com impressionante, fresco verdor, recebemos neste momento o primeiro dia do verão.


Com um sentimento de tranquilidade acabamos de celebrar o ofício divino da Grande Missa de Miroku, no 129º ano da fundação da Oomoto. Agradeço-vos, pois, cordialmente, a vossa colaboração.


Parecia-me que o novo corona-vírus pela primeira vez estava terminando, mas ultimamente se espalha rapidamente infecção de diversas mutações do vírus através de todo o país, por assim dizer, com mais intensas infecções. Em todos os municípios e regiões é lançada a declaração de calamidade pública, e por isso, por ocasião da atual Grande Missa de Miroku, como aconteceu no ano passado, solicitei a todos os oomotanos assistirem pela televisão. Com cordial prazer eu esperava que desta vez eu poderia encontrar-me com vocês todos, e por isso meu sentimento é grande; entretanto, por algum tempo ainda devemos nos deter de nos encontrarmos, em virtude da disseminação da infecção.


Entretanto, a festa de hoje foi de tanta gratidão e encorajamento para mim, como se a séria prece de todos os participantes, pela televisão, tocasse diretamente o meu coração.


Em particular, exprimo a todos vós cordiais agradecimentos pelo fato de que, também ontem, vocês tiveram a bondade de participar da festa de nascimento da Terceira Guia Espiritual e do Guia Auxiliar, e também da festa de nascimento e de gratidão do 20º ano do jubileu de minha posse como Quinta Guia Espiritual. E, mais ainda, pelos presentes, plenos de sinceridade, realizados pelos crentes de todo o país — eu agradeço cordialmente.


A respeito do especial programa denominado “Apresentação Nacional de Cantos de Amor e Bondade”, foi ele apresentado por 420 pessoas, em 30 organizações locais, de Hokkaido até Kyushu Meridional. Na minha opinião foi belíssimo o coral “Canto Missionário Fundamental”, apresentado por todos os grupos corais; embora a filmagem de todos os grupos tenha sido feita em diferentes localidades, o coral, alma de belas e boas expressões, apresentou-se com perfeita harmonia. Por outro lado, senti também uma atmosfera familiar, além de que as expressões de todos os presentes eram bastante iluminadas; senti-me, pois, muito feliz.


Esta Apresentação de Cantos de Amor e Bondade teve início no 7º ano da era Heisei (1995), quando houve o Grande Terremoto de Hanshin-Awagi, fazendo com que a Quarta Guia Espiritual dissesse: “Eu quero fazer soar a palavra espiritual dos cantos do bem amoroso destinado à purificação do mundo”. Não há dúvida de que também a Quarta Guia Espiritual se alegra muito no Reino Espiritual, ouvindo o coral “Canto Missionário Fundamental”, apresentado por vocês, caros crentes — eu penso.


Por outro lado, projetei abrir as instalações dos terrenos sagrados de Ayabe e Kameoka, para que os crentes pudessem vê-los: ontem, no quarto dia, no Ten’on-kyō, abri o alojamento Hagakume, onde residiram a Terceira e a Quarta Guias, as salas de chá Tayan-kyō e Sangetsu-tei e seus respectivos jardins, situados ao ocidente de Gekkū-Hōza (o mais sagrado local do Tem’on-kyō, no Baishō-en, a sala de chá Kakuzankyō e a sala de espera Jūkitei, que se encontram ao pé do Monte Tsuruyama. Nós aguardamos, pois, cordialmente a sua visita, de modo que, após a Grande Missa do Setsubun, sob a chefia do escritório central, acima de tudo, todos os funcionários, em colaboração, realizem a limpeza dos edifícios, dos jardins e de seus arredores, como o trabalho de conservar o sagrado jardim.


Para mim, constituiu grande alegria verificar a situação em que os funcionários do Escritório Central unânime e sinceramente estão prontos para receber agradavelmente os crentes de todo o país, e fazê-los felizes. Foi com prazer que eu aguardei aquele dia, imaginando os rostos sorridentes dos crentes, ao visitarem os terrenos sagrados. Lamento muito não poder receber e guiar vocês. Mas, como pelo menos posso enviar fotos pela internet, tenham a bondade de apreciá-las, eu peço.


E esta Grande Missa de Miroku constitui um grande acontecimento: há 93 anos, em março do terceiro ano da era Showa (1928), houve a festa em que o próprio Santo Mestre declarou oficialmente a Manifestação do Deus de Miroku, quando ele atingiu a idade de 56 anos e 7 meses. A partir dessa festa, em adoração ao Deus de Miroku. que desceu para trazer o Mundo de Miroku, reza-se pela realização desse Mundo de Miroku, onde Deus e os homens viverão em paz e com prazer. Eis a Grande Missa da Primavera.


Se olharmos para trás, a Grande Missa de Miroku realizada há 20 anos, no 13º ano de era Heisei (2001), sendo a primeira do século 21, foi para mim a primeira que servi como Guia Espiritual da Oomoto. Desde então, até hoje, sentindo fortemente a grande proteção de Deus e a orientação das sucessivas Guias Espirituais, e do Guia Auxiliar, acrescida pela ajuda de muitas pessoas, eu acumulei valiosas experiências. Pude sentir profundamente o favor, a gratidão e o calor humanos: foram vinte anos cheios de gratidão.


E eu me recordo de minhas palavras de saudação, pronunciadas pela primeira vez por ocasião da Grande Missa de Zuisei, no 13º ano da era Heisei (2001): Apoiados na sagrada missão deste caminho de misterioso arranjo: “’Se a Oomoto se tornar boa, também o mundo melhorará’”, esforcemo-nos por caminhar em direção à organização cheia de luz, ordem e simpatia; colaboremos unanimemente, tanto os velhos como os jovens, sem distinção de idade, sinceramente, sem mentiras, humilde e harmoniosamente, para demonstrar um bom exemplo.” Essa maneira de pensar válida há vinte anos, mesmo agora não mudou; desejo cordialmente que o Escritório Central e também as organizações locais tratem carinhosamente os seres humanos, respeitando-os, e também colaborem entre si, para formar a figura harmoniosa da Flor de Umê, que centraliza a Divindade.


Por ocasião do agravamento da infecção do novo corona-vírus, que vem se prolongando desde o ano passado, nosso mundo está obrigado a tomar nova direção. Futuramente a humanidade deve viver tendo Deus no centro; do contrário, tudo não caminhará bem. Parece-me que Deus nos persuade a isso.


O Nobre Mestre (o Guia Auxiliar Hidemaru) expressou-se assim, em suas “Memórias sobre a Crença em Deus”:


“Raciocinar sobre como devemos manter constantemente o coração: largo, grande e amplo — eis a coisa mais necessária."


Raciocinar sobre a maneira de vivermos com o sentimento pleno de gratidão e prazer, é a coisa mais importante.


Detenhamo-nos de pensar que todo homem é mau. A todos devemos tratar com calorosa simpatia e favor.


Jamais se desespere e entristeça, qualquer que seja o desencorajador acidente que nos atinja. “Isto pode constituir a compaixão de Deus por nós. Ele teve a bondade de transformar a grande desventura, em pequena” — nós interpretemos como algo bom e vivamos cada dia com gratidão e alegria. Se pudermos manter assim nosso coração, já seremos possuidores do reino celestial.


Confiemos tudo à vontade de Deus. Façamos o melhor possível em cada dia e em cada momento, sem se apressar e sem se desesperar demasiadamente, devendo raciocinar para passar tranquilamente a vida toda como se fosse apenas um dia.


Ir ao reino celestial e cair no inferno, acontece necessariamente em virtude da acumulação de nossos diários estados de espírito; não porque Deus nos conduz, nem, tampouco, porque a sociedade nos impõe. Tudo acontece apenas em virtude de nossa maneira de pensar.


Assim ele se digna de ensinar que a construção do reino celestial ou do inferno ao nosso redor, depende, inteiramente, da maneira de pensar de cada pessoa.


Tenhamos sempre o coração largo, grande e amplo, sem cobrir de nuvens nossas almas, brigando a nosso favor e ferindo um ser humano por ódio e ciúmes; simpatizemo-nos uns aos outros com o sentimento cheio de gratidão e calor humano; possamos polir nossas almas entre nós; aprendamos juntos e melhoremos nossas possibilidades. E assim eu desejo tornar-me um habitante do reino celestial juntamente com todos vocês.


Por fim, desejando cordialmente a todos os crentes boa saúde e felicidade, aguardo, com prazer, o dia em que poderei encontrar-me com vocês.


Hoje eu vos agradeço cordialmente pela sua participação de adoração.


Todo meu dizer

Condutas já provindas

Desse Deus maior

Transmuda em convite

De prazer e de amor.


Uta do Santo Mestre.


5 de maio do 3º ano da era Reiwa, 2021


Kurenai DEGUCHI, 5ª Guia Espiritual da Oomoto

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo